Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Ferrovias

As maior concentrações de cargas estão em Canoas, Cruz Alta, Passo Fundo e Rio Grande

O Sistema Ferroviário Brasileiro possui aproximadamente 30.000 km de extensão, distribuído pelas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste e opera por concessão cuja fiscalização é realizada pela  Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT.  Seu principal concorrente é o transporte rodoviário, embora sua utilização seja indicada para a movimentação de grandes volumes de carga em médias e longas distâncias. A opção pelo predomínio do transporte rodoviário levou a subutilização do modal ferroviário no Brasil e no Rio Grande do Sul. A participação do modal na matriz de transportes é de aproximadamente 30% no Brasil e 6% no RS¹. No entanto é considerado por planejadores e técnicos do setor de transportes um elo essencial da cadeia logística do transporte de cargas, com grande potencial para crescimento, desde que conectado adequadamente aos demais modais.

A malha ferroviária gaúcha, integrante da chamada Malha Regional Sul - MRS²,  controlada por longo período pela Rede Ferroviária Federal - RFFSA, foi concedida para a iniciativa privada em 1997 à América Latina Logística - ALL que, até 2013, detinha também áreas de concessão na Argentina, o que tornava possível a integração ferroviária entre grandes centros como São Paulo e Buenos Aires, por exemplo. No entanto, esta possibilidade não se concretizou. A operação mais recente é da empresa Rumo, nova companhia resultante da fusão Rumo - América Latina Logística - ALL, com concessão para o período de 1997 a 2027 e operação das malhas das regiões Sul e Sudeste. 

Segundo a ANTT, o Rio Grande do Sul possui hoje uma malha de aproximadamente 3.259 km de linhas e ramais ferroviários utilizados somente para o transporte de cargas. A maior parte apresenta bitola de 1 metro, sendo que apenas 5 km apresentam bitola mista (1,435 m), com objetivo de realizar a integração com as malhas argentinas e uruguaias. Atualmente vários trechos ferroviários do estado estão desativados ou só operam em época de safra agrícola.

De acordo com o Anuário Estatístico dos Transportes, os centros de transferência de cargas que apresentam maior movimentação localizam-se em Canoas, Cruz Alta, Passo Fundo e Rio Grande, junto ao Porto. Os principais produtos transportados são: commodities agrícolas, farelo e óleos vegetais, combustíveis, adubos e fertilizantes, contêineres, produtos industrializados para  construção civil e siderurgia e produtos florestais. Os maiores terminais intermodais encontram-se em Porto Alegre, Uruguaiana e em Rio Grande, junto ao Porto.

¹ PNLT, 2012 (Relatório Final) e PELT- RS, 2014
²MRS: Malha Regional Sul (Concessionária Rumo ALL-América Latina Logística do Brasil S.A - abrange os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo). Total das Concessionárias no Brasil: ALLMN;ALLMO;ALLMP;ALLMS;EFC;FERROESTE;EFVM;FCA;FNS;FTC;FTL e MRS.

Percentual do volume transportado em 1000 TU pela ALLMS em relação ao total transportado no Brasil no período 2010-2016
Percentual do volume transportado em 1000 TU pela ALLMS em relação ao total transportado no Brasil no período 2010-2016

Fonte: MT. Anuário Estatístico dos Transportes 2010-2016 (UT: Toneladas Úteis)

Principais mercadorias transportadas pela ALLMS em Toneladas Úteis (TU) por tipo de mercadoria no período 2010-2016
Principais mercadorias transportadas pela ALLMS em Toneladas Úteis (TU) por tipo de mercadoria no período 2010-2016
Fonte: MT. Anuário Estatístico dos Transportes 2010-2016 (UT: Toneladas Úteis)

Atlas Socioeconômico do Rio Grande do Sul