Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Estabelecimentos e empregados nos Serviços

O setor de Serviços do RS apresenta concentração de estabelecimentos e empregados em Porto Alegre

Os Serviços constituem um setor de difícil conceituação. A literatura sobre esse conceito não foi capaz de elaborar uma definição, ao mesmo tempo, completa e objetiva desse setor (DINIZ, 2007, p.17). Para este capítulo, consideraremos os seguintes setores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): a) Comércio; b) Serviços; e c) Administração Pública.

Pode-se observar que, no Rio Grande do Sul, o número de empregados e de estabelecimentos nos Serviços apresentou crescimento até 2014, a partir de quando deteve queda, resultante da crise econômica brasileira. O seu pior patamar ocorreu em 2020, como reflexo da pandemia da COVID-19, quando o Estado possuía 211.567 estabelecimentos e 1.984.197 empregados no setor. A partir desse ano, o Rio Grande do Sul passou a apresentar recuperação nos Serviços, contando com 232.862 estabelecimentos e 2.193.036 empregados em 2022.   

O Rio Grande do Sul deteve, em 2022, 6,86% dos estabelecimentos e 5,51% dos empregados desse setor no Brasil. Por sua vez, Porto Alegre possuía 17,33% dos estabelecimentos e 28,39% dos empregados dos Serviços no Rio Grande do Sul, o que demonstra a concentração desse setor na capital.   

 

DINIZ, Luís Henrique Freitas. Distribuição e funcionalidades espaciais do setor terciário no Brasil (1991-2000). Dissertação de mestrado. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. 2007. 

Número de estabelecimentos e de empregados no setor de Serviços no RS (2013-2022)*


* Foram considerados os seguintes setores: Comércio; Serviços; e Administração Pública.
Fonte: MTE/RAIS

Número de estabelecimentos e de empregados, no Rio Grande do Sul, no setor de Serviços por subsetor do IBGE (2022)

* Somados os valores de Comércio Varejista e Comércio Atacadista.
Fonte: MTE/RAIS

Atlas Socioeconômico do Rio Grande do Sul