Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Alojamento e alimentação

O número de empregos de Alojamento e Alimentação teve uma importante diminuição entre 2020 e 2021 no RS

Segundo a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE 2.0), os serviços de alojamento se distinguem dos de locação de imóveis pela curta duração da disponibilidade do local de alojamento, salvo em casos de alojamentos coletivos (pensionatos, casas de estudante), tratados dentro deste segmento. Por sua vez, os serviços de alimentação têm como característica o preparo de refeições para consumo imediato, a preparação de alimentos por encomenda e a preparação de bebidas para consumo imediato.

Em relação ao número de empregados, neste subsetor, no Rio Grande do Sul, observa-se que, em 2020, alcançou o seu menor patamar, com 197.664 empregados, um número 18% menor em relação ao de 2015. O subsetor apresentou rápida recuperação, chegando a 235.751 empregados em 2022.

São Paulo apresentava o maior número de estabelecimentos desse subsetor, com 26%, e de empregados, com 31%. O Rio Grande do Sul detinha 7% dos estabelecimentos e 5% dos empregados de Alojamento e Alimentação do País.

Este subsetor se apresenta bastante desconcentrado no território do Estado. Porto Alegre apresentava 20% dos estabelecimentos em 2022, seguido por Caxias do Sul, Santa Maria, Pelotas e Canoas. No número de empregados, Porto Alegre liderava com 31%. Era seguido por Santa Maria, Caxias do Sul, Canoas e Gramado.

Número de empregados e de estabelecimentos de serviços de alojamento e alimentação no Rio Grande do Sul (2013-2022)


Fonte: MTE/RAIS

Atlas Socioeconômico do Rio Grande do Sul