Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

COVID-19 – Casos e Óbitos

Em 2020, foram notificados 33.106 de casos de COVID-19 no RS

Publicação:

A COVID-19 é uma infecção respiratória aguda causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, potencialmente grave, de elevada transmissibilidade e de distribuição global. Foi relatada primeiramente na China em 2019, e em janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde – OMS declarou, conforme previsto no Regulamento Sanitário, que o surto do coronavirus constituiu-se em uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) – o mais alto nível de alerta. A ESPII é considerada, nos termos do Regulamento “um evento extraordinário que pode constituir um risco de saúde pública para outros países devido à disseminação internacional de doenças; e potencialmente requer uma resposta internacional coordenada e imediata”. Em seguida, a OMS, caracterizou a COVID-19 como uma pandemia.¹

Segundo dados da OMS, em 2020, foram notificados 79,2 milhões de casos no mundo e 7,5 milhões no Brasil.² No Rio Grande do Sul o primeiro caso da doença foi divulgado no dia 10 de março de 2020. Desde então, o número de casos foi se acumulando, ainda que com variações na intensidade ao longo dos meses, chegando a um total de 33.106 casos³.

Em março de 2020, os casos do estado (183) se concentraram predominantemente no município de Porto Alegre. Caxias do Sul e Bagé também apresentavam números mais elevados, não chegando, porém, na mesma proporção da capital do estado. Nesse mês, o número de municípios com casos confirmados da doença chegou a 73. Quatro COREDES ainda não apresentavam casos: Alto Jacuí, Campos de Cima da Serra, Celeiro, Missões, Noroeste Colonial e Vale do Caí.

Os meses de abril e maio marcam um avanço na difusão do vírus. A partir de abril, todos os COREDES já apresentavam casos confirmados da doença. Além disso, e aqui reside uma questão importante, municípios como Lajeado, Passo Fundo, Marau e Bento Gonçalves concentravam boa parte dos casos. No mês de maio, por exemplo, tal como aponta o mapa, o município de Lajeado fora aquele com o maior número de casos confirmados da doença (1.174). Nesse período, foram comuns surtos de casos da doença entre os trabalhadores dos frigoríficos desses municípios, o que pode explicar, ao menos em parte, essa concentração de casos.

A partir de junho, os casos passam a se concentrar especialmente nos COREDES Metropolitano Delta do Jacuí, Vale do Rio dos Sinos e Serra. O que se observa, de um modo geral, é um aumento generalizado nos casos ao longo dos meses, exceção feita ao mês de setembro, quando há uma leve redução no número de casos confirmados. Porto Alegre se mantém como o município com mais casos confirmados em cada um dos meses, seguido, na maioria das vezes, por municípios como Caxias do Sul, Canoas, Pelotas, Passo Fundo, Novo Hamburgo, São Leopoldo e Santa Maria.

Nota-se que os municípios com as maiores proporções de casos são também aqueles com as maiores populações. Além disso, ao longo do ano se observa certa preponderância da concentração dos casos nas aglomerações urbanas e regiões metropolitanas do estado, justificadas, muito provavelmente, por serem aglomerações com intensa mobilidade de pessoas e concentração de atividades econômicas. Por fim, se observa que há uma tendência de concentração de casos na metade norte do estado.

A primeira morte causada pelo novo coronavírus ocorreu em 2 de janeiro de 2020 em Wuhan na China, mesma cidade onde o vírus foi identificado pela primeira vez. No Brasil, o primeiro óbito pela doença, segundo Ministério da Saúde, ocorreu em 12 de março no estado de São Paulo. No Rio Grande do Sul o primeiro óbito foi divulgado no dia 25 de março. De um modo geral, a difusão de óbitos acompanha a propagação dos casos.

Em abril de 2020 se observa uma tendência dos óbitos de se concentrarem especialmente nos municípios de Passo Fundo, Porto Alegre, Lajeado, Bento Gonçalves e Venâncio Aires e municípios adjacentes.

Já em julho se nota que todos os COREDES apresentam, no mínimo, um óbito confirmado. A concentração se dá principalmente na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Outubro, após o pico de julho, foi o mês com menor número de óbitos confirmados no estado (951). Dezembro, por sua vez, é o mês com o maior número de óbitos confirmados da doença no estado do Rio Grande do Sul, chegando a mais de 2.000 mortes. Nota-se que a maior concentração se dá no COREDE Metropolitano Delta do Jacuí, porém outras regiões do estado ganham destaque: COREDES Serra, Sul e Litoral incrementam sua participação no total de óbitos. Além disso, municípios do COREDE Fronteira Oeste também apresentam um incremento nos seus óbitos na medida em que o fim do ano de 2020 se aproxima.

¹Folha informativa sobre COVID-19/Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)
²Atualização epidemiológica semanal - 29 de dezembro de 2020/OMS
³SES - Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul

Evolução do número de casos confirmados mensais de COVID-19 no RS – 2020

Fonte: SES/RS

Evolução do número de óbitos confirmados mensais de COVID-19 no RS – 2020

Fonte: SES/RS

Atlas Socioeconômico do Rio Grande do Sul